Virando o Tabuleiro – O Rock que eu Vi

Virando o Tabuleiro – O Rock que eu Vi

Por Sora Maia

Foi lançada na quinta-feira, dia 10 de Março a exposição Virando o Tabuleiro – O Rock que eu Vi, da fotógrafa Sora Maia. O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura (Prêmio Cultura na Palma da Mão/PABB) via Lei Aldir Blanc, redirecionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal. A mostra acontecerá em página própria no Facebook  e perfil do Instagram. As cerca de 40 fotografias realizadas entre os anos de 1993 e 2003 retratam os shows, artistas e público que ocuparam lugares hoje extintos como Casablanca, Calypso Heineken Station, Havana, Santana, Hotel Pelourinho, New Florida , Sabor da Terra e outros espaços onde o rock pudesse injetar seu glamour e alegria de viver.

O primeiro critério para a escolha das imagens foi que elas tivessem sido feitas em equipamento analógico registrados em películas de celuloide em negativo ou positivo, trazendo como “filtro” as marcas do tempo com suas manchas e arranhões. ” A proposta se irmana com os meios de divulgação utilizados pelas bandas ainda em tempos pré digitais, onde abundavam os banners, cartazes, pichações e flyers de papel e muita divulgação boca a boca, além do canal telefônico Telefanzine do jornalista Ednilson Sacramento, também presente na mostra na função de consultor e revisor das descrições pra cego ver que acompanharão alguns dos cards e fotos da exposição. 

Mais de 400 imagens foram escaneadas para chegar as 50 selecionadas para a mostra virtual. Essa mostra é um recorte fotográfico dos aprontes do rock baiano neste período, sem pretender dar conta de toda cena ou estabelecer parâmetros de qualidade. Aqui você não encontra o registro de tudo que aconteceu nem se pretende dizer que era o que de melhor aconteceu. É apenas o rock que vi, ou ainda menos, o que fotografei. 

Para cada banda/artista aqui representado, outras dez foram deixadas de fora. Os cerca de 20 grupos que fazem parte da exposição são um mapa do gosto pessoal da fotógrafa nas noites da virada do século, seduzida pelo talento, irreverência e os ecos do faça você mesmo propagados pelo movimento punk do final dos anos 70 e começo dos 80. Outros grupos do punk ao metal se apresentavam pela cidade como as bandas Não e Proliferação, O Uivo, Krânio Metálico e Zona Abissal não registradas pela fotógrafa, no entanto, de uma forma ou outras todas elas se frequentavam, se conheciam e muitos músicos migraram de um projeto a outro num cross over que abrigava as muitas tendências do rock mundial, com a presença discreta e muitas vezes quase inconsciente dos elementos locais.

Apesar do interesse em chamar atenção para um momento fértil em que se desenvolveu novas carreiras e principalmente novos métodos de potencialização de talentos e deixar claro que sob a legenda música baiana se abriga a potência do rock local que influencia a região e o pais desde o estouro de Raul Seixas em meados dos anos 70 e que nos colocou novamente nos holofotes na figura de Pitty, parte desta diversa e versátil geração, esta é um uma mostra que se inclina para exibir imagens selecionadas mais pelo seu impacto estético que pelo seu caráter documental e que estavam até então restritas ao arquivo pessoal da fotógrafa.

O período relatado, apesar de vibrante e movimentado, aconteceu quando a internet dava seus primeiros passos no Brasil, portanto seu alcance foi condicionado a necessidade da presença física entre público e artistas, com maiores dificuldades de divulgação. Este edital é uma oportunidade de mostrar este momento através de imagens potentes e fazer com que ele se inscreva em belos registros no corpo multifacetado da cultura baiana.  

Na migração do analógico para a ocupação artística das plataformas digitais que é o objeto desta premiação, o projeto contou com a participação da jornalista e designer, especializada em gestão de redes sociais Thainá Dayube, para que possamos maximizar o alcance dessas postagens através de sua inserção em horários e situações específicas que nos rendam uma melhor visualização com ações de engajamento. 

No dia do seu lançamento haverá live em canal próprio no Youtube com a participação do produtor Rogério Bigbross, dos jornalistas Ednilson Scarmento e Thainá Dayube e dos músicos Rex e Jorge King Cobra a partir das 20h30. 

Serviço : 

O quê – Exposição Virtual Virando o Tabuleiro – O Rock que eu Vi da fotógrafa Sora Maia }
Quando – Dia 10 de Março às 20h30 no canal Virando o Tabuleiro do Youtube 

Confiram como foi a live de lançamento no YouTube
Onde – no Instagram @virandootabuleiro e no facebook – fb.com/virandootabuleiro 

BahiaRock

BahiaRock

Seu portal pro rock baiano!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.