Ronei Jorge lança “Irmã” em 28 de maio

Por Paula Berbert

Segundo álbum solo do artista será disponibilizado nas plataformas de streaming

Uma semana antes, o single “Risos” antecipa o lançamento e abre alas para show de pré-lançamento pelo Sesc Santana que acontece no dia 22

O cantor e compositor baiano Ronei Jorge lança em 28 de maio o seu segundo álbum solo, “Irmã”, que será disponibilizado nas plataformas digitais. Duas parceiras fundamentais da trajetória do artista assinam a produção musical, numa criação afiada a seis mãos, ainda que à distância e de dentro de casa: as cantoras, compositoras e produtoras também baianas Andrea Martins e Livia Nery. Das circunstâncias do isolamento social impostas pela atual realidade pandêmica, revela-se a afinidade entre eles, além de cuidado, expectativa, sonho e variadas sensações que o desconhecido desperta. A data será festejada com uma live de audição comentada por Ronei, às 19h, na sua página de Instagram (www.instagram.com/roneijorge).

Partindo da canção brasileira e de sua riqueza harmônica e melódica – característica marcante da obra de Ronei –, este novo disco incorpora camadas eletrônicas, que, com sutileza, chegam a serviço da música, da letra e da voz, abraçando a instrumentação orgânica de violões, guitarra, baixo e vocais. “A sonoridade eletrônica já fez parte de meu trabalho primeiramente, há muito tempo atrás, com Gilberto Monte, num projeto chamado Clube do Silêncio, e, anos depois, com João Meirelles e Lia Cunha, quando criamos o Tropical Selvagem. Nestas experiências, o processo era centrado em um produtor/arranjador trabalhando em cima de minhas canções. Agora, em ‘Irmã’, com Andrea e Livia, as canções ficaram mais em primeiro plano, realçadas, muito por conta de elas duas também serem compositoras de canções, sem que deixassem de propor arranjos muito inteligentes, criativos, elaborados”, detalha Ronei. “O disco não fala de um tema específico, mas, sem dúvida, o nascimento de meu filho influenciou de alguma maneira parte das letras e das músicas. Sinto relação com a infância. A criança tem muito futuro, o mundo todo pela frente. E por existir futuro, há esperança, expectativa e medo”, revela ele.

“Irmã” é o primeiro disco de Ronei gravado sem uma banda base: até mesmo em “Entrevista” (2018), sua estreia solo, ele esteve acompanhado da Dziga Tupi, que inclusive criou os arranjos daquele álbum coletivamente. Agora, nesse novo processo, as oito músicas se costuraram uma a uma, incorporando as referências das produtoras, que ainda se revezam na concepção dos arranjos e na execução das programações eletrônicas e sintetizadores. “‘Irmã’ é o disco em que a sonoridade mais pop se destaca em comparação aos meus trabalhos anteriores. As canções já tinham por si uma objetividade e entre elas uma diversidade, coisas que Andrea e Livia evidenciaram. Isto, para mim, são atributos de música pop”, conta Ronei Jorge.

Para a instrumentação orgânica, foram convidados os músicos Ian Cardoso (violões e guitarras), Israel Lima (baixo), Luisão Pereira (baixo e guitarra), Taciano Vasconcelos (violões e guitarras) e Tadeu Mascarenhas (baixo), além de Edson Rosa (guitarras), que assina com Ronei a música “Melhor planeta”, única coautoria do álbum, e ainda é responsável pela arte da capa e da campanha de divulgação. Sobre a maneira como essa multiplicidade de contribuições se expressa, Ronei considera que há ainda mais ganho em diversidade e que a própria feitura fica diferente: “Eu entreguei as canções para que as produtoras arranjassem e depois a gente discutisse junto. Elas também fizeram contato direto com cada músico participante, dirigindo com eles os caminhos de cada instrumento”, descreve ele.

Basicamente feitas em home studio, as gravações incluem registros feitos individualmente, com um músico por vez, no Estúdio Casa das Máquinas (Salvador/BA), sob tutela de Tadeu Mascarenhas; no Estúdio Guaiamum (São Paulo/SP), com Gilberto Monte; e no Estúdio Ilha de Criação (Salvador/BA), por Átila Santana. Completando a ficha técnica, Luisa Muricy canta em uma das faixas, Tadeu Mascarenhas (Estúdio Casa das Máquinas – Salvador/BA) responde pela mixagem e Maurício Gargel (Maurício Gargel Audio Mastering – São Paulo/SP), pela masterização.

Com produção executiva da Tropicasa Produções, o projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

SINGLE E SHOW – Uma semana antes do lançamento oficial de “Irmã”, no dia 21 de maio, a música “Risos” chega como single nas plataformas digitais, aquecendo a expectativa para o novo trabalho e abrindo alas para o primeiro show com seu repertório. No dia 22 de maio, às 19h, o Sesc Santana transmite, em seu projeto “Música no Deck”, dentro da programação #EmCasaComSesc, a apresentação de estreia do álbum, executando suas canções de forma inédita como um pré-lançamento. O show foi gravado em um apartamento em Salvador, com Ronei Jorge acompanhado de Luisa Muricy (voz), Raffa Muñoz (baixo e sintetizadores) e Taciano Vasconcelos (guitarra), e será exibido com exclusividade no YouTube e no Instagram da unidade (www.youtube.com/sescsantana e www.instagram.com/sescsantana).

SOBRE RONEI JORGE – Um dos mais respeitados nomes da música pop contemporânea da Bahia, o cantor e compositor Ronei Jorge é representante de um sólido movimento independente que mantém o estado como uma referência inventiva e frutífera para a cena nacional. Em quase 30 anos de carreira, consagrou suas canções à frente de bandas, projetos artísticos, trilhas para teatro e cinema, diversos festivais e shows em todo o Brasil, conquistando público fiel e reconhecimento da crítica especializada.

Iniciou sua trajetória nos anos 1990 com as bandas de rock Mutter Marie e Saci Tric. De 2003 a 2010, esteve com a banda Ladrões de Bicicleta, com quem ganhou projeção nacional. Ronei Jorge os Ladrões de Bicicleta gravaram um álbum homônimo (2005), com produção de Luiz Brasil, e “Frascos, Comprimidos, Compressas” (2009), produzido por Pedro Sá, através do programa Petrobras Cultural e considerado um dos melhores discos daquele ano em listas como a da revista Rolling Stone. Com eles, Ronei passou por festivais como MADA, Goiânia Noise, Festival de Verão de Salvador, Circuito Cultural Banco do Brasil e duas etapas do Claro que É Rock. Já em 2013, ao lado de João Meirelles e Lia Cunha, formou o Tropical Selvagem, um projeto híbrido de música e artes visuais, que lançou o EP “Tropical Selvagem” (2015).

Em 2018, Ronei se reinventou numa nova estreia, com o trabalho solo lançado no CD “Entrevista”, também com produção de Pedro Sá e incluído nas listas da Rolling Stone e da Bravo! entre os melhores do ano, chegando a festivais como Bananada, Levada e Digitália. Agora, Ronei lança seu segundo disco solo, “Irmã”, com produção de Andrea Martins e Livia Nery.

Ronei Jorge – “Irmã”

– 21 de maio: Lançamento single “Risos”, disponível nas plataformas de streaming

– 22 de maio, 19h: Show pelo Sesc Santana – “Música no Deck” #EmCasaComSesc
Em www.youtube.com/sescsantana e www.instagram.com/sescsantana

– 28 de maio: Lançamento álbum “Irmã”, disponível nas plataformas de streaming

– 28 de maio, 19h: Live audição comentada por Ronei Jorge
Em www.instagram.com/roneijorge

Você pode gostar também