Lançamentos do Rock Baiano #8

Está no ar a 8ª edição da coluna Lançamentos do Rock Baiano. Como disse nas últimas edições, mesmo com a quarentena o número de lançamentos não para. Então vamos tentar manter constante atualização para dar conta da quantidade.
Fica o recado mais uma vez: nós aqui do BahiaRock estamos sempre tentando acompanhar as novidades das bandas através de suas respectivas redes sociais, mas não é fácil ficar por dentro de tudo. Ou também conseguir escrever resenhas sobre tantos lançamentos. Então pensamos no seguinte: fazer uma coluna onde iremos divulgar com alguma frequência as novidades do rock baiano.

Então se sua banda lançou um clipe, single ou disco (pode ser EP também) mande para nós divulgarmos aqui. Podem enviar um e-mail para bahiarock@bahiarock.com.br ou então entrem em contato através das nossas redes sociais.

Nesta oitava coluna reunimos 2 singles, 2 EPs e 2 álbuns . Confiram:

1) MrJCK – Por Quem os Sinos Dobram? (single)

A banda de rock baiano MrJack lança seu primeiro single autoral em todas as plataformas de streaming de música. A canção intitulada “Por quem os sinos dobram” faz parte do novo repertório da banda em homenagem a uma década de sucesso.

De acordo com o vocalista Matheus Garcez, a canção trata da dualidade humana e acaba, involuntariamente, associada ao momento delicado que vivemos, por conta da pandemia do covid-19.

2) Martin Mendonça, Gui Almeida e Paulo Kishimoto – Martin, Kishi & Gui, Vol. 1 (álbum)

Por trás dos vários sucessos de Pitty que marcaram época no rock nacional, há também uma excelente banda, com músicos experientes e criativos. Três deles, Martin Mendonça, Gui Almeida e Paulo Kishimoto, se juntaram e criaram o álbum “Martin, Kishi & Gui, Vol. 1”, que chegou aos aplicativos de música, pela gravadora Deck.

O disco foi gravado totalmente remoto, com os músicos produzindo suas partes nos próprios home studios. Martin Mendonça (guitarra), Gui Almeida (baixo) e Paulo Kishimoto (teclados) trouxeram suas ideias e cada um gravou, em totalidade, três das nove faixas do repertório, tornando-o variado e com um pouco das influências e inspirações de cada artista.

3) Comida de Foguete – III (EP)

Numa cidade em quarentena, fábricas continuam produzindo, enquanto pessoas ficam em casa tentando se proteger. E o Comida de Foguete é uma dessas fábricas, quase inquieta, produz música para acalentar (ou seria provocar?) os corações de seus cidadãos. Tudo isso está na capa do terceiro EP assinado por Jéssica Aragão, do projeto de Feira de Santana (BA), encabeçado por PV, lançamento do selo Banana Atômica.

Intitulado “III”, o EP completa a tríade antecipada por “Hypnerotomachia Poliphili” (maio/2020) e “Home Brewing” (junho/2020), para PV eles simbolizam respectivamente o corpo e a mente.

4) Carburados – KM1 (EP)

A banda Carburados, Hardcore/Crossover de Salvador-BA, lançou seu EP com muito orgulho chamado KM1, que já está disponível em todas as plataformas digitais! O disco foi produzido, gravado, mixado, masterizado e licenciado pela gravadora BRUTALCORECITY.

5) Infected Cells – This is the End (single)

Após uma apresentação magistral no Festival Palco do Rock, em Salvador/BA, o Infected Cells iria iniciar as gravações do sucessor do EP “Voices from the Hell”, lançado em 2018, porém a pandemia causada pelo Covid-19 forçou uma mudança nos planos da banda.

O resultado é a faixa inédita “This is the End” acompanhada de um clipe “quarantine version” que conta com a participação especial de George Lessa (Headhunter D.C., God Funeral) na guitarra solo.

Gravada em regime de distanciamento social, cada membro gravou suas partes em seus respectivos home studios, novamente sob a produção de Hugo Elias, com George registrando sua parte no Valverde Studio, sob a supervisão de Bruno Valverde.

6) Jô Estrada – Silver Tapes (álbum)

O músico Jô Estrada lançou em maio o seu disco Silver Tapes, que está disponível nas principais plataformas de música para ouvir, baixar, comprar e aproveitar. A capa foi feita por Ricardo Ferro e Jô diz que pirou com ela. A mixagem e a masterização foi o mestre Jedi André T.

Você pode gostar também