Bruma

A ‘BRUMA’ é uma banda baiana de ‘hard folk rock.
Fundada em 2017 pelo compositor Ciro Sarno e pelo cantor Kiko Albuquerque, a banda passou por uma fase de troca de integrantes até a chegada do guitarrista Enrique Araújo e do baterista Oziel Santos, que hoje compõem o quarteto: Kiko Albuquerque (vocal/baixo); Ciro Sarno (violão/guitarra); Enrique Araújo (guitarra); Oziel Santos (bateria).
A veia artística do grupo se baseia nas composições de personalidade lírica muito forte, onde a canção pode não só ser escutada, mas também lida. As indagações mundanas que nos cercam, os anseios e receios da vida, os romances e nuances que compõem a nossa história: tudo é visto como música aos olhos da banda e traduzido na verdade crua do rock.

Poesia e rock’n’roll:
Em 2016, Ciro Sarno convidou Kiko Albuquerque para participar do projeto ‘21g’. Essa colaboração deu certo desde o primeiro momento, e a conexão entre a poesia de Ciro e a interpretação visceral de Kiko foi o que deu origem ao embrião da ‘BRUMA’. No entanto, foi apenas com a chegada de Enrique Araújo e Oziel Santos que a banda se encontrou musicalmente, recebendo uma injeção de energia e combinando a influência de todos os integrantes para achar sua expressão.

Dentro e fora do palco:
O solo – Quem conhece Enrique Araújo se arrisca a dizer que ele é quase uma personificação do rock’n’roll. E é. Enrique escolheu seu caminho como guitarrista ainda muito novo, e foi o suficiente para dar um mergulho sem volta na música. Seu timbre único deram peso e atitude ao som da banda, e sua presença de palco é um show à parte. Suas referências vêm do hard rock e do blues, e passeiam entre Motorhead, Rolling Stones, Cascadura, Raul Seixas; entre outros. Enrique foi membro fundador das bandas “Gozo de Lebre” (bateria), “Donna Blues” (guitarra) e “Havana Rock Club” (vocal/guitarra), e sua experiência e contribuição para a cena de rock baiano acrescentam o grupo também fora dos palcos.

O groove – Oziel Santos (ou Ozzy) é a técnica em pessoa. Batera extremamente experiente e seguro, Ozzy deu a consistência, a liga e a coerência rítmica que a banda precisava. É o tipo de músico que basta ouvir uma vez para entender do que se trata. Suas viradas características dão beleza e energia ao rock cru da banda, e suas referências passeiam entre o metal e o hard rock. Com mais de 15 anos de estrada, Ozzy já tocou em diversas bandas da cena musical baiana.

A base – Lembranças fantasiadas de versos; acordes abertos; Oasis. Não precisamos ir muito além disso para tentar entender Ciro Sarno. Exemplo de quando combinamos um pouco de talento com muita determinação, Ciro é uma exceção à regra: só pegou pela primeira vez em um violão em 2015, já aos 26 anos de idade. Com um punhado de letras autorais e um único objetivo, abandonou tudo para se dedicar à carreira de compositor. Em 2017, lançou seu projeto musical, a ‘21g’. Ciro acredita que o segredo está na sintonia dentro e fora do palco, e talvez por isso tenha sido o elo que uniu os membros da ‘BRUMA’. Seja atrás da guitarra, do violão ou da folha em branco, veremos sempre um pouco de sua alma impressa em suas composições e na sua musicalidade.

A voz – Kiko Albuquerque nasceu para o palco, e bastam cinco minutos para enxergar seus holofotes. Descobriu desde novo que sua paixão era cantar. Aprendeu a tocar violão para ter uma base harmônica que o acompanhasse, e desde então se engajou cada vez mais na música. Começou a tocar profissionalmente em 2005, como baixista e vocal, e já percorreu diversas cenas musicais, do forró ao rock. Tem uma veia artística enraizada, seja na personalidade expansiva, nas imitações impecáveis ou no acervo enorme de referências musicais. Seu drive inconfundível, sua interpretação teatral e sua potência vocal fazem de Kiko um frontman completo, capaz de nos transportar para onde a música quer nos levar. Você simplesmente vai, e fica.

Você pode gostar também